domingo, 13 de fevereiro de 2011

Um belo dia

Um belo dia, sem aviso prévio, ele entrou mal-humorado em casa, reclamando de tudo o que acontecia, e, decidido, deu sua carta de alforria, puxou a mala de cima do armário e disse que já tinha um lugar onde dormir aquela noite, voltaria apenas para resolver as pendências de praxe numa situação como a nossa. Nossa?? Escute, estou me separando de você. Um belo dia, ela olhou bem dentro dos olhos do chefe e disse tudo o que pensava, que aquilo não era vida, nem aquela mixaria era salário, que exploração tinha limite e que ela sentia muito, mas que aquele era o último dia.
Um belo dia, ela descobriu um nódulo no seio esquerdo.
Um belo dia, ele estava caminhando como sempre fazia às oito e meia da manhã, em direção ao escritório, quando passou por uma banca de jornal que estava ali todos os dias, e reparou na moça que atendia, e a considerou tão doce e feminina que ali parou, comprou qualquer coisa e de troca ganhou um sorriso gerador de bons presságios.
Um belo dia, descobriu que seu filho havia virado um homem.
Um belo dia, o telefone tocou e era a notícia que ela mais aguardava, havia alguém interessado em expor suas pinturas, uma galeria pequena mas ajeitadinha, seria bom se saísse alguma coisa na imprensa, o resto ela faria por e-mail, chamaria seus amigos, talvez até vendesse algumas telas, alguém a notaria.
Um belo dia, ela não entrou mais na sua calça preferida, nem a camisa fechava com folga, e ela, então ficou infeliz por um segundo, mas pensou que tinha o direito de comer e não retribuir o modelo que exigiam dela e, voltou a ser feliz num instante, pois nada podia fazer contra sua fome de ser ela mesma, e colocou um vestido mais largo e foi para a rua tratar da vida como sempre fazia.
um belo dia, ele voltou de viagem como se nada tivesse acontecido.
Um belo dia, elas se mudou para perto do mar.
Todos os dias acontecem coisas importantes e desimportantes que nos chegam de surpresa. Mesmo que essas coisas tragam dores, a gente diz que foram sofridas num belo dia. E se trazem alegria, mais ainda. A gente usa o termo porque sabe que ESTAR VIVO SEGUE SENDO A ÚNICA RECOMPENSA E POR ISSO É SEMPRE BELO, SEJA UM BOM, SEJA UM MAU DIA.
.
Martha Medeiros
.
Que todos vocês, meus amigos queridos, tenham UM BELO DIA DE DOMINGO.
Abraço!!
Fê.

2 comentários:

Lenita Vidal disse...

Um belo dia de domingo pra você também amiga linda!
Lindo texto, adoro Matha Medeiros, mulher inspirada!

Ah, notícias do cachorrinho que foi atacado por dois pitbull e outros que estavam por perto, ele já consegue latir, desafinado, mas late e cuida da casa, o pelo já cresceu totalmente e é o mascote do pessoal da fábrica.
Ele é engraçadinhi, ficou todo tortinho pelo ataque, mas é valente, seu nome aqui é Brad Pit Feiurinha.

Beijos,
Lenita

Margarete disse...

Oi Fê, adorei, como sempre você nos brinda com lindos textos!!!
Grande beijo e ótimo final de domingo! Tenha uma linda semana.