quinta-feira, 21 de março de 2013

Nem tudo é o que parece...


Oi amigos!!
Olhando assim até parece que estive de férias todo esse tempo, né? Assim fosse... Na verdade, estive vivendo numa tempestade de maus fluídos que pareciam não ter fim. Além dos problemas "comuns" de qualquer ser humano, meus peludos caçulas Arthur e Mariah contraíram cinomose no final do ano passado (doença canina mais cruel que já vivenciei). Enquanto o médico veterinário dizia ser stress, a doença se alastrava atingindo o sistema neurológico, que provocou sérias sequelas deixando-os totalmente dependentes de mim. Então, eu não poderia pensar em outra coisa senão dar-lhes atenção o dia inteiro.
Para a ciência, na situação avançada em que eles se encontravam não havia mais o que fazer, mas para mim, que acredita num Deus superior que tudo pode, jamais desisti. Rezei muito e por incrível que pareça, depois de 4 meses,  o Arthur já está começando a dar seus primeiros passinhos. A Mariah ainda está fraquinha, mas também dá sinais de que tudo vai acabar bem,  e como diz Paulo Coelho:
Quando temos um sonho parece que o universo inteiro conspira para que ele se realiza. 
Então é isso amigos, precisamos viver um dia de cada vez, mas sempre com fé, esperança e acreditando que a vida é formada por ciclos e, todos eles sem exceção, são necessários para o nosso crescimento espiritual. Afinal, que valor daríamos às cores e aos momentos de alegria, se não vivêssemos com dias sombrios e dolorosos.
O bom disso tudo é que estamos superando todos esses obstáculos juntos à amigos que nos enviam muitas orações e pensamentos positivos.
Se Deus quiser, muito em breve,  nossas vidinhas estarão voltando ao normal.
Beijos.

5 comentários:

Patricia Ramalho disse...

Boa tarde Fernanda, poxa, que triste seus cachorros... ainda bem que estão melhorando, tive um pit que morreu com 9 meses de cinomose, o pior de tudo é que a doença só se alastrou realmente e piorou depois que tomou a vacina contra, juro, não sei o que o veterinário fez, mas o Dado (meu pit) no dia que tomou a vacina tremia tanto e logo em seguida começou a ter ataques epileticos... essa é uma doença realmente muito cruel, tive que assistir meu bebê definhando, tomando remedios fortes, ele sempre foi tão forte e vivaz, tão alegre, dá uma dor no coração só de lembrar... Levei-o em vários veterinários e todos queriam apenas uma coisa, sacrificar, diziam que ele não sentiria nada, mas assisti, ou melhor, ouvi o sacrificio de um dos irmãos dele e o choro me doia a alma, não tive coragem. Um dia cheguei da faculdade e encontrei o Dado deitado, sem forças na minha cama, no outro dia ele não acordou...

Me desculpe o texto, mas qdo penso em cinomose lembro do meu pit e fico muito nostalgica.

Bjs

Denise Lemos disse...

Nossa, são momentos difíceis, já passei por isso, com o Ruffos, na época ele tinha 9 meses, agora já tem 4 anos!!! Sim foi difícil, mas ele se recuperou e não ficou com ceguelas. Acredite, Deus é poderoso, eu sou devota de São Francisco de Assis, sempre peço S.O.S, para meus bichinhos!!!! Estamos torcendo por seus peludos.
Aki no nosso PORTO, os bichanos são sempre bem vindos!!!!
www.portodasreliquias.com

Lucinha disse...

Fernanda,

Sinto falta de suas postagens, e por isso vim lhe visitar.
Que triste essa notícia sobre os seus cachorrinhos. Posso imaginar a luta que você está passando.
Eles vão ficar bem, pois além dos cuidados médicos, tem o carinho, que é o mais importante nesse momento.
Desejo melhoras pra eles. Beijos

Alexandra Melo disse...

Olá vim aqui para não sei bem como mas estou a gostar já vi que gosta de animais eu tb espero que os seu cachoro esteja melhor,eu tb adoro animais tenho uma cadela tinha duas uma morreu de cancro mas já velhinha apesar de me lembrar muito dela, o sofrimento da perca já passou.
Beijinhos me visite
O blog tenho dois, um de moda e outro de decoração vou deixar o de decoração www.reciclardecorar.net
Beijinhos
Alexandra Melo

Paty Neves disse...

Oi Fernanda vim te conhecer por indicação da Vera Moraes... e li esse post e tenho a dizer que siga sempre o seu coração, pois, uma amiga teve uma poodle que o veterinario disse que não tinha como salva-la e a Aline não desistiu e foi a outros até encontrar uma veterinaria que disse a gente vai salva-la sim, fez desde acupuntura a tratamentos com remedio, amor, passe, e muito muito amor de todos ao redor, pois ela ficou sem andar por muito tempo, depois claro ficou as sequelas ela não enxergava direito mas a Nina esta la. Imagine se a Aline tivesse aceitado o primeiro laudo veterinario.
Nina se foi depois de + de 4 anos com a gente.
Beijos e vou passear mais um pouco