terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Oferecendo flores

Parece que 2011 entrou literalmente "arrazando".
Em alguns locais, a poluição sonora provocada pela euforia das bombas e rojões na passagem de ano, são substituídas pelo som das sirenes de ambulâncias e viaturas de bombeiros que se misturam aos gritos de socorro de milhares de pessoas vítimas de catástrofes cada vez mais enfurecidas, que se repetem em cenários surpreendentemente chocantes, ano após ano, substituindo apenas os personagens. E, entre tudo isso, existe uma mãe chamada Natureza, que também pede por socorro, pois suas forças estão no limite. Mas, suas súplicas são caladas e silenciadas por um conjunto de fatores que insistem marcá-la com eternas e irreversíveis cicratizes.
Espero que todo esse sofrimento não tenha sido em vão e que também não caia em esquecimento. Demonstremos a nossa solidariedade repensando conceitos e modificando hábitos. Mudanças de comportamento são fundamentais para o futuro deste lindo Planeta.
É importante lembrar que todos somos responsáveis e temos nossa parcela de culpa. Precisamos praticar mais a humildade, simplesmente porque somos inquilinos. Nada nos pertence: o planeta em que vivemos, o nosso corpo, a nossa vida. Tudo isso são empréstimos de Deus. É nossa obrigação manter a casa arrumada, limpa, organizada e em perfeita ordem. Gestos e atitudes que reforçam aqueles antigos ditados: "Nunca faça aos outros, aquilo que não gostaria que fizessem com você" ou "Somente dê ao próximo, aquilo que gostaria de receber."
Por isso hoje, ofereço flores a mãe natureza. Em vidros ou latas. Não importa, pois independente disso, elas continuarão lindas, coloridas e perfumadas. Afinal, flores são flores, assim como um bom livro que não se identifica pelo visual de sua capa ou a cumplicidade de um grande amigo, que não se identifica pela sua conta bancária.







Fonte: 4.bp.blogspot.com; a-mad-tea-party-with-alis.blogspot.com

4 comentários:

Jonatas disse...

muito bom o seu blog, eu já estou seguindo.
segue o meu:
http://macabunatelinha.blogspot.com/

Iram M. disse...

Um dia ainda vou te conhecer. Sinto a sua sensibilidade a flor da pele.
Sinto que por onde coloca a mão, nada mais fica igual.

Beijo querida.
Estou sempre aqui

Romy disse...

Olá Fê,

Lindo o texto!!!

Quem não gosta de flores, basta haver uma num campo que os nossos olhos é para lá que se vão virar, é a magia da natureza.

Beijinho

Doce Ateliê disse...

Oi lindinha,
muito obrigada pelas flores.
Beijo com carinho